25 de fev de 2014

Chá Preto

Por: Eliana Rezende

Os amores e os afectos são como as bebidas quentes.

Estas, devem ser deglutidas delicada e vagarosamente... sempre quentes, em chávenas igualmente delicadas, finas, brancas, de porcelana ou quem sabe, nas que são espessas,  coloridas, de bordas grossas e encorpadas.

São excelentes nos dias frios porque aquecem todo o corpo. Dão a sensação de bem-estar, conforto, calor e “preenchem” sem pesar. Alimentam e em muitos casos revigoram e acalmam corpos cansados.

Oferecem aroma aos sentidos e sabor ao paladar. E ainda há mais: com diferentes tons oferecem cores aos olhos e enchem-lhe de matizes cinzentas, rosadas, douradas, verdes e 
prateadas. Tons do belo outono que preenchem de forma líquida espaços delicados.

Se tomadas próximo ao fogo parecem tornar-se próprias à reflexão e contemplação: levam nossos olhos, janelas da nossa alma, para a percepção das chamas que ardem, que crepitam no calor e nos fazem pensar no poder transformador de uma chama. Seja física (o fogo em si), seja emocional, como é o amor.
Escrito por Eliana Rezende - Lisboa, outubro de 2000
As bebidas quentes, quando chegam à hora e na medida certa revigoram e abastecem. Fazem pelo corpo o que o amor faz pela alma.
Mas como no amor, estas bebidas têm seu tempo de “calor”. Não merecem arrefecer em uma chávena pousada sobre uma mesa ou ao lado de uma fogueira.




A bebida se esquecida esfria, a fogueira se apaga e todo o “conforto” propiciado por ambos se perde.
Os elementos estão todos ali, não deixaram de lá estar, todavia perderam seu “momento” adequado.


Assim, bebamos ao amor ao seu tempo e aqueçamos nossos corpos!




_________________
Posts relacionados
Telhados de Lisboa
As faces de Sampa

4 comentários:

  1. Os chás são como as bolhas de sabão de um banho quente: tem seu tempo, seu sabor. Poeticamente colocado, compartilho deste pensamento e da doçura que as palavras são capazes de emprestar a um sentimento ou uma sensação - das quais é necessário sentir para saber seu sabor - que só existe no abstrato... E no entanto é tão concreto, que pode mudar o teor de uma vida, literalmente. Não são assim concretos nossos pensamentos quando se transformam em teorias, filosofias,ciências, poesias?
    Então, elevando nossas chávenas filosóficas brindemos ao poder da memória e de toda sua criação!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ol@ Tania...
      Sim... a ideia da metáfora do chá como bebida quente é essa sensação gostosa de calor e sabor, acompanhada de diferentes tons.
      O Pensados a Tinta é espaço para que todos tenham esse espaço imaginário e de sensações
      Abs

      Excluir
  2. Parabéns Eliana, sempre com textos diferenciados, chá de letras para ser degustado sem moderação. rs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ol@ Edison...
      Por favor, sente-se de aprecie sem pressa e como vc mesmo disse: sem moderação!
      É para conforto d'alma.
      Abs

      Excluir