1 de jun de 2014

Afinal, quem você pensa que é?

Por: Eliana Rezende

Em tempos de egos tão inflados as pessoas parecem se esquecer qual o espaço que, de fato, ocupam no universo. Talvez seja uma boa ideia parar... pensar... redimensionar!


Proponho um pequeno exercício de reflexão com apoio de alguma pirotecnia visual. 
Confira a animação aqui:

A animação parece tão simples; afinal é só olhar nosso tamanho no universo.
Ela faz por nós algo que é muito caro à arquitetura e engenharia, põe numa perspectiva e escala adequada o que somos em qualquer lugar que estejamos e qual é o nosso ínfimo lugar nesse macrocosmo infinito.

Do ponto de vista de uma animação a hierarquia facilita o redimensionamento de tudo.
As dificuldades começam a surgir quando saímos dela e olhamos ao nosso redor, o nosso mundo real.
Se formos ao mundo corporativo poderemos constatar então, que a arrogância e prepotência de determinados cargos criam opacidade na forma e nos valores como cada um se vê e olha o outro.

É mesmo um longo aprendizado lidar com a vaidade.
De fato, em áreas onde a técnica e arte podem se misturar e até confundir o encontro de egos e ruídos de vaidade tendem a aumentar.
Talvez por isso mesmo devêssemos voltar, olhar para a nossa verdadeira dimensão e reconsiderarmos o que pensamos de nós e dos outros. 

Pessoalmente, gostei muito da animação. Achei-a instigante e que contribui muito para fazermos um redimensionamento sincero do que somos neste universo infinito, sem a arrogância, às vezes, tão presente em cargos e funções ocupados nos universos corporativos. 
Se servir a isso, foi excelente!


_________________
Posts relacionados:
Empáticos e gentis: para quê?
O Trabalhador Invisível
Escrita em carmin...até quando?
Nós, como Gotas de Oceanos
A dança como metáfora corporativa
*
Curta e Acompanhe o Blog em sua página no Facebook
Conheça meu Portal: ER  Consultoria | Gestão de Informação e Memória Institucional
Siga-me pelo Twitter: @ElianaRezende10


13 comentários:

  1. Hei de carregar um ramo de cheiros-verde (pois não conseguí os louros, hehehe) acima de ti e, ao teu ouvido sussurrar: "És mortal"...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ol@ Lionel...
      Tantos e tão grandes problemas seriam evitados se cada um se resignasse à sua insignificância!
      Abs

      Excluir
  2. A julgar que estamos numa sociedade onde a imagem é preponderante, não importa quem somos de verdade e sim a imagem que passamos, mesmo que seja falsa... infelizmente é isso que temos observado!
    e a vaidade se encaixa como uma luva!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ol@ Matiza...
      Mas eu acho que com esta consideração vc esquece uma coisa fundamental: e como vc irá se olhar a cada dia no espelho?
      Com qual imagem vc se defrontará?
      Independente dos outros, existe nós. E conosco vivemos cada um de nossos dias. Não seria bom que nossa projeção no espelho fosse o que somos na alma?
      Abs e pense nisso...

      Excluir
  3. Ainda existem experiências no universo, que nós homenzinhos que fazemos parte desta natureza, ainda que em processo de evolução nunca poderemos desvendar, desfrutar ou até mesmo entender, pelo menos não neste conceito de vida que conhecemos hoje. Tratar "BEM" tudo e todos que co-existem ao nosso redor, já é uma forma tentar entender que fazemos e somos apenas uma parte de todo este contexto...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ol@ Elvis...
      Isso a Ciência já descobriu e tem dados provas.
      A questão é que muitos se esquecem disso e parecem ignorar completamente este fato.
      Ainda tem a visão anterior a Aristóteles, e julga que é o seu umbigo o centro de todo o universo. E alguns ainda mais materiais pensam que é o seu carro ou o seu cargo este centro!
      Abs

      Excluir
  4. bom eu creio que aqui estamos para sermos gentil um com outro, porque não a nada maior ou melhor do que eu ,sou do tamanho exato que fui feito,eu acredito na igualdade do ser,da mesma maneira que recebo posso pagar,não há justiça humana perfeita, mas acredito no criador ,osccar

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ol@ Osni...
      De fato nosso universo tem o tamanho de nossa percepção.
      Disso não conseguimos fugir. Talvez por isto tantas interpretações e algumas dificuldades.
      Abs e muito grata...

      Excluir
  5. Boa tarde a todos! Compartilho aqui o comentário que tbm fiz no Linkedin

    Realmente a animação é muito instigante (impossível clicar em cada item - teria que dispor de um dia todo para isso); sua pergunta também. Acho que vivemos todos de certa forma numa busca por quem somos ou por que estamos aqui, ou para quê... Claro, uns mais que outros, quando os "egos inflados", as experiências vividas, das mais variadas, ou as tantas ocupações da agitação diária permitem, tanto em nossa vida profissional, quanto pessoal. É uma pergunta muito pertinente e que creio que devamos todos nos auto questionarmos, diante de tudo que vivemos e experimentamos dia-a-dia. Alguns podem encontrar as respostas, as certezas, mais rapidamente.
    É interessante pensar que haja propósito para todas as coisas; "há tempo para todas as coisas"; destino? Podemos pensar em Jó, José, Saul e Davi; Snowden, e em tantos filmes e animações que nos fazem refletir; somos como um grão de mostarda? Como uma formiguinha e sua vida de inseto? Dá pra divagar tanto e se perder nesse infinito... Continuo pensando em sua pergunta e tendo a certeza de que não tenho opinião formada sobre tudo, ou quase como a canção do Kid Abelha "Nada sei"... Mas, talvez, eu possa dizer que sou eterna aprendiz de uma aprendizagem sem fim, ou será que algum dia terá fim?!!
    ______________________

    De fato Osni, "sou do tamanho exato que fui feito", mesmo que às vezes, possamos nos sentir do tamanho de uma formiguinha, mas, quanto, até mesmo um pequeno inseto pode fazer não??? Que dirá um formigueiro inteiro!

    Matiza, desculpe, acho que de certo modo você tem razão, porém, de minha parte, luto para não me enquadrar nesta estatística! Claro que temos que cuidar de nossa imagem, mas não a imagem do ter e sim a do SER e ainda assim podemos ser mal interpretados, julgados e confundidos, ficando até mesmo à margem na sociedade...

    Abraços!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ol@ Josiane...
      Creio que foi isso que movimentou-me na produção do post.
      Podemos enveredar por vários caminhos: da filosofia, religião à psicologia. São questões existenciais que ocupam o homem desde que o mundo é mundo e desde que nos olhamos como humanos.
      Obrigada pela elucubração conjunta!
      Qdo escrevemos esperamos sempre que o leitor do outro lado nos acompanhe, instigue e incentive tal como vc fez... Isso é que nos move a continuar a escrever e compartilhar inquietações.
      Nunca pense que não tem nada a dizer. O seu obrigad@ já é tanto!
      Abs

      Excluir
  6. Excelente texto, como sempre, podemos encontrar nesta página. Este em particular considero um dos melhores. Realmente, esta reflexão é mesmo necessária!!!

    ResponderExcluir
  7. Aceite a sua sugestão, Eliana e resolvi escrever aqui também!
    "Realmente, é uma reflexão extremamente necessária. Apesar de ser religiosa e acreditar que Deus criou o homem dotado de tantas capacidades para que"reinasse sobre a terra", mas que o fizesse utilizando-as para o bem, tenho minhas convicções científicas que me levam a perfeita compreensão sobre a demonstração apresentada no texto. E estas me levam a concordar com a ideia de que o "homem" muitas vezes, se coloca até mesmo acima de Deus, julgando ser mais ou melhor do que realmente é, e justamente pelo excesso de vaidade e cobiça, mão medindo esforços para atingir seus objetivos. A meu ver, este tipo de pensamento e de comportamento, vai de encontro com o real lugar que o homem ocupa no Universo. Porém, quando se tem a real consciência disso, o indivíduo assume sua real importância no mundo dos "homens", a de saber viver, conviver, produzir, partilhar, amar e ser amado. Não sei se fui clara e se me fiz entender, mas, é o que sinto e acredito. Adorei o texto!"

    Abraços!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ol@ Lígia...
      Que bom que gostou do texto e que a fez caminhar por esta reflexão.
      Em verdade foi este meu objetivo.
      Fazer simplesmente que as pessoas parassem e ponderassem sobre quão ínfimos somos apesar de tantos diplomas, certificados, atuações.
      Não creio que esta discussão seja apenas religiosa em hipótese alguma. Independente de nossas convicções temos que assumir nosso real lugar nesse imenso universo.
      Obrigada pela interlocução!
      Abs

      Excluir